Estrelas

Características

Algumas estrelas são planetas, característico das estrela com luz fria, difusa e constante, diferente das estrelas de brilho intenso e irrequieto que outros corpos celestes emitem. Mas além dos planetas, podem-se observar no céu a olho nu, milhares de estrelas que são corpos celestes de luz própria.

Algumas estrelas mudam de cor com a idade. Quando jovens, emitem luz vermelho-escura. Mas na velhice, já sem tanta energia, tornam-se azuis.

Quando madura e já consumido todo seu estoque de hidrogênio, o hélio que lhe serve de combustível converte-se em carbono e oxigênio. A fusão dos elementos em reações termonucleares eleva a temperatura do corpo muito além de 100 milhões de graus centígrados, o que pode desintegrar suas camadas externas. Os corpos mais velhos do Universo são as grandes estrelas, que podem alcançar até 10 bilhões de anos. Alguns desses gigantes celestes são tão grandes que, diante deles, o próprio Sol fica pequeno. A estrela Antares, por exemplo, tem um diâmetro de 300 vezes maior do que do Sol e seu volume ainda mais - 113 milhões de vezes. Há também, as estrelas componentes da dupla Y, da constelação de Cocheiro, cujo raio equivale a 3000 vezes o diâmetro do Sol. Tão excepcional é seu volume, que daria para abrigar com folga o nosso sistema solar inteiro.

O que é uma estrela?

É um grande corpo celeste composto de gases quentes que emite radiação eletromagnética, em especial a luz, como resultado das reações que ocorrem em seu interior. Com exceção do Sol, as estrelas parecem estar fixas, mantendo a mesma forma no céu ano após ano. Na realidade, estão em movimento rápido, mas as distâncias são tão grandes que sua mudança relativa de posição só é percebida através dos séculos.

Estrela Cadente

É um fenômeno luminoso provocado pelo deslocamento rápido de um corpúsculo sólido, geralmente de diminutas gerações, incandescido em conseqüência dos atritos nas camadas atmosféricas superiores.

Luminosidade e "Gigantes Vermelhas"

As estrelas são muito diferentes uma das outras pela massa, luminosidade e composição. São visíveis graças ao reflexo da luz do Sol em sua superfície, elas próprias fabricam sua energia através de processos termonucleares.

Quando o hidrogênio se esgota nas regiões centrais de uma estrela, o núcleo se contrai, permitindo assim que o hidrogênio queime em camadas menos profundas, enquanto o envoltório se dilata: essa é a faze das gigantes vermelhas. O Sol atingirá esse estágio dentro de cerca de 5 bilhões de anos; seu raio terá então centuplicado e a temperatura na Terra será superior a 2.000º C.

O Sol é uma estrela.

Número de estrelas

Calcula-se que o número de estrelas visíveis da Terra a olho nu é de cerca de 8.000, das quais 4.000 estão no hemisfério norte do céu e 4.000 no hemisfério sul. Em qualquer momento durante a noite, em ambos hemisférios, só são visíveis 2.000 estrelas. As demais se ocultam na neblina atmosférica, sobretudo próximo ao horizonte, e na luz pálida do céu.

Os astrônomos calculam em centenas de milhões o número de estrelas da Via Láctea, a galáxia a que pertence o Sol. A Via Láctea é apenas uma das milhares de galáxias visíveis pelos potentes telescópios modernos. As estrelas visíveis individualmente no céu são as que estão mais próximas do Sistema Solar na Via Láctea. A mais próxima de nosso Sistema Solar é a Próxima do Centauro, uma das componentes da estrela tripla Alfa do Centauro.

Tipos de estrelas

As estrelas se compõem sobretudo de hidrogênio e hélio, com quantidades variáveis de elementos mais pesados. As maiores que se conhecem são supergigantes com diâmetros 400 vezes maiores que o do Sol. Já as estrelas conhecidas como anãs-brancas podem ter diâmetros de apenas um centésimo do diâmetro do Sol.

Mais da metade das estrelas do firmamento são membros de sistemas de duas estrelas (binárias) ou de sistemas múltiplos. Algumas estrelas duplas próximas aparecem separadas quando são observadas através de telescópios. A maioria é detectada como dupla só por meio de espectroscópicos.


Não encontrou? Pesquise abaixo!